NOTÍCIAS

Informações atualizadas todos os dias

Fórum festejará 15 anos de área livre sem vacinação em SC

MB Comunicação

Um dos maiores avanços da pecuária catarinense foi a histórica conquista do status de área livre de aftosa sem vacinação para Santa Catarina.  Para comemorar os 15 anos desse acontecimento, a CIDASC com o apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) promoverá o 5° Fórum Catarinense de Prevenção a Febre Aftosa, na próxima terça-feira (24 de maio), a partir das 9:00 horas da manhã, no Plenarinho da Assembleia Legislativa (ALESC), em  Florianópolis.

         O evento também poderá ser acompanhado à distância, pois será transmitido pela TV ALESC e disponibilizado em plataformas digitais, inclusive Youtube.

O Fórum é parte dos esforços da FAESC e do Governo para a conscientização sobre doença, seus impactos e a importância da prevenção.

         O presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC José Zeferino Pedrozo assinala que a vigilância e a prevenção da Febre Aftosa devem ser permanentes para redução dos riscos de introdução da doença.

Desde 2007, quando a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), em Paris, reconheceu Santa Catarina como área livre de aftosa sem vacinação, a FAESC destacou e valorizou todos os atores que participaram dessa conquista. O Estado de Santa Catarina, em razão de um sério e perseverante trabalho dos produtores rurais, das agroindústrias e do Governo catarinense, criou, manteve e aperfeiçoou um notável sistema de defesa e vigilância sanitária animal que se tornou um paradigma nacional com reconhecimento internacional.

O dirigente enfatiza a atuação especial que teve a CIDASC – Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – na estruturação e fundamentação de todo o processo que culminou com aprovação da OIE.

“Santa Catarina tornou-se uma ilha de sanidade em todo o País porque, paralelamente à produção de alimentos cárneos, opera um avançado e competente sistema de vigilância, fiscalização e controle sanitário que monitora todas as fases da produção pecuária. Esse sistema foi estruturado arduamente e exigiu sacrifícios, investimentos, estudos e pesquisas da sociedade, tornando-se, portanto, um patrimônio dos catarinenses, dos produtores rurais, do Governo e das agroindústrias”, manifesta Pedrozo.

Participação no 5º Fórum Catarinense de Prevenção a Febre Aftosa pode ser confirmada pelo link: https://forms.gle/owiQ2m9Vv8niQ1gn9.